Entrevista com Ka Hancock

BOm dIa QueriDos LeiToreS...

Calma meu Teclado não está com problema nenhum, apenas queria enfatizar um pouco mais o meu estado de euforia e felicidade.
Por que?
Simples! Hoje é com o imenso prazer que eu vou dividir com vocês a entrevista com a autora Ka Hancock, que escreveu o livro tornou-se o meu favorito DANÇANDO SOBRE CACOS DE VIDRO

Essa semana vocês conferiram o post que fiz com a confirmação da entrevista, por fim o dia chegou. Confira as questões levantadas pelo Blog Três leitoras

Em nome do Blog  agradecemos a autora imensamente pelo seu carinho com seus fãs. É muito gratificante para amantes da leitura como nós, poder receber essa atenção de uma escritora, ainda mais quando está literalmente do outro lado do oceano.

O Livro “Dançando sobre cacos de vidro” está sendo um sucesso em todo o Brasil. Vejo em vários sites, blogs e Skoobs, pessoas desejando seu livro e outras elogiando o seu trabalho.
Hoje o Blog Três Leitoras tem o enorme prazer em poder entrevistar a autora que está estourando com o seu primeiro sucesso (de muitos)...
PS: as respostas da autora estão traduzidas, mas mantemos a original citada!


Três Leitoras - Nos conte quem é Ka Hancock? (Além de escritora, o que gosta de fazer, seus hoobies, sua família, filhos.... Entre outros, como qual o tempo que se dedica para escrever) 
I’m a rather ordinary woman with lots of joys and heartaches like everyone else. I’ve been married forever to my highschool sweety and we have 4 great kids who married 4 great kids and they’ve given us 12 grandchildren. Such (noisy) fun! I’m a psychiatric nurse, which I love, and I still work 20 hours a week. When I’m  not writing, I love to travel and read and quilt...and shop for shoes—I love shoes.

Ka Hancock: Sou uma mulher bastante comum, com muitas alegrias e tristezas, como todas. Sou eternamente casada com o meu amor de colegial e temos 4 filhos maravilhosos que se casaram  com 4 pessoas maravilhosas.E eles nos deram 12 netos, muito "barulhentos", porém é divertido! Sou enfermeira psiquiatra e amo, continuo trabalhando 20 horas por semana.Quando não estou trabalhando, amo viajar, ler, costurar colchas, comprar sapatos. Eu amo sapatos!


Três Leitoras - A Nossa leitora Camila Rocha, gostaria de lhe fazer a seguinte pergunta e lhe contar um fato
"Há quase 3 anos perdi minha filha com apenas 4 meses de vida e durante toda sua curta vida lutei todos os dias, horas e minutos por ela e a luta de Lucy por sua família me fez recordar todos os momentos ao qual passei pela vida da minha filha. Não se preocupe, não sofri ao ler seu lindo livro e sim me emocionei pois me fez ver que tudo valeu a pena apesar do curto período que tive com ela."
O fato de ser uma enfermeira psiquiátrica ajudou a criar os personagens Lucy e Michael? Qual foi a sua real inspiração para os personagens?

 I’m always inspired by people who love each other and take care of each other despite challenging circumstances. Love is what we as humans are here to do. Much like the sweet, unwavering  afffection you have for your little daughter and the absolute heartbreak of losing her—it’s all love, and that emotion is uniquely human—part tears, part joy, part rage, part laughter. Our hearts experience it all. Lucy and Mickey are not real people, but I know people like them—people that work that hard and love that hard. That’s what inspires me.
Ka Hancock: Eu estou sempre sendo inspirada por pessoas que se amam e cuidam das outras apesar das circunstâncias .Amar é isso, é para isso que nós seres humanos estamos aqui! Como o doce afeto que você tem por sua querida filha, e um coração partido de perda.Tudo é amor, a emoção é um sentimento único do ser humano. Uma parte deles são lágrimas/choro,alegrias, raiva e risos.Nossos corações experimentam tudo!Lucy e Mickey  não são pessoas reais, mas conheci pessoas como eles.Que lutam arduamente e amam com bastante força.Isso que me inspira!


Três Leitoras - A Obra “Dançando sobre cacos de vidro” é o seu primogênito publicado. Foram 4 anos até concluir este livro, todo esse tempo dedicado a obra, podemos afirmar que é um trabalho perfeito. Qual foi a maior dificuldade nesses quatro anos de criação. E o que foi mais fácil? 

I think the easiest part of writing is the ‘getting started’. I love creating. I love inventing the story. First drafts are very fun and exciting for me. I’m discovering the characters, getting to know their personalities, figuring out the story they’re going to tell. The hard part comes after the first draft, when you can see all the mistakes you’ve made, the important things you’ve left out, what plot elements need to be strengthened. That’s hard work and much more tedious and a little less fun. But when it all comes together, and you know it’s right—It’s all worth it!
Ka Hancock: Eu penso que a  parte mais fácil para ser escrita é "iniciar a escrever". Eu amo criar e inventar histórias.Os primeiros rascunhos. É muito prazeroso e divertido descobrir os personagens e conhecer suas personalidades.A parte mais difícil vem depois do primeiro rascunho,quando você vê todos os erros cometidos e as coisas importantes que deixou de fora , reforçar elementos! Esse trabalho é mais chato/tedioso e bem menos divertido. Mas quando tudo se junta e você sabe que está certo,vale a pena!


Três Leitoras - O seu Livro está fazendo muito sucesso no Brasil, você pensou que ele tomaria tamanha proporção? Sabemos que este é o sonho de todo escritor e logo no primeiro lançamento, deve ser maravilhoso! 
 I’m thrilled that so many wonderful people in Brazil have embraced Dancing on Broken Glass. I love getting notes and feedback from readers, and I have had some especially lovely notes from Brazil. I would love, love, LOVE to visit your beautiful country and meet (and hug) all of you! J                                                
            
KaHancock: Estou muito feliz que tantas pessoas maravilhosas no Brasil adotaram Dançando sobre cacosde vidro. Eu amo receber notas e comentários dos leitores, e eu tive algumas notas especialmente lindas do Brasil. Eu adoraria, adoraria, adoraria visitar o seu belo país e me encontrar (e abraçar) a todos vocês!  J

Três Leitoras - Pelos depoimentos e resenhas que vimos em diversos blogs e sites, as pessoas sempre falam dos sentimentos e emoções despertadas com a história. Qual foi o seu objetivo ao escrever essa obra? Que mensagem você quis deixar?

I just wanted to tell the love story of an unusual couple and at the same time highlight some of the challenges of living with a mental illness. I’ve been deeply touched by the impact this story has had on readers who can relate to Mickey’s challenges, as well as Lucy’s. My goal was to invite the reader into Mickey and Lucy’s marriage, and for the reader to experience compassion for doing so.
KaHancock: Eu queria contar uma história de amor de um casal raro e  ressaltar alguns desafios de vivência de pessoas com doença mental! Fui tocada profundamente pelo impacto que a história teve sobre os leitores, que poderiam se relacionar com os desafios do Mickey, e da Lucy também. Meu Objetivo era convidar o leitor para dentro do casamento da Lucy e do Mickey, e do leitor experimentar a compaixão!

                                           
Três Leitoras - Todos os personagens secundários desde as irmãs, médicos e vizinhos mostram carinho, amor, compaixão e companheirismo. em plena correria do século XXI não enxergamos esse "amor"... .... esse fato influenciou na decisão de Lucy permanecer e desejar que sua filha cresça nesse ambiente.

You are right, the 21st century is a busy rush with little time to stop and think of others. But each of us has the ability to create our part of a ‘Brinley Township’. Get to know our neighbors, smile in the elevator, do something kind for someone who is struggling. Life is hard and we’re all in the same boat—we might as well help each other get through it. In the book Lucy’s parents move into their new neighborhood not knowing anyone, so what did they do? They threw a Christmas Eve party and invited everyone. It became tradition. We can all do that. Imagine the world, if we all reached out in kindness to each other. 
Ka Hancock: Você está certa, a vida do século XXI é movimentada e corrida,com pouco tempo para parar e pensar nas outras pessoas.Mas cada um de nós tem a capacidade de criar nossa própria parte de Brinley Township. Conhecer seus vizinhos, sorrir no elevador, fazer algo gentil para alguém que está passando por uma batalha. A vida é dura e estamos todos nós no mesmo barco, podemos ajudar uns aos outros a passar por isso.Os pais da Lucy se mudaram para outro bairro sem conhecer ninguém. O que eles fizeram? Realizaram uma festa de Natal e convidaram todos. E isso se tornou uma tradição! Todos nós podemos fazer isso. Imagine o mundo se todos nós fizermos algo de bondade para com o próximo!


Três Leitoras - Alguns autores escrevem e geralmente tem uma inspiração em algum ator, ou um rosto para os personagens ... se isso aconteceu? Quem seriam os rostos de Michael e Lucy?

I don’t know who I’d like to see play Lucy and Mickey, but I can see Katherine Heigl as Priscilla.

Ka Hancock: Não vejo ninguém como Lucy ou Mickey , mas vejo Katherine Heigl como Priscila.



         

Três Leitoras - Este livro poderia ter uma continuação? Já pensou no assunto?

Several people have asked me about a possible sequel to Dancing on Broken Glass. I had never planned to set a second book in Brinley, but who knows...       
Ka Hancock: Muitas pessoas tem me perguntado se tem possibilidades de ter  uma continuação. Mas nunca pensei sobre isso,em um segundo livro em Brinley. Quem sabe...


Três Leitoras - Você gostaria de ver seu livro sendo virar filme, pois essa historia tem que ir pras telonas? Será que já recebeu alguma proposta

I think the secret wish of any writer would be to have their book made into a movie. I’m no exception—that would awesome. 

Ka Hancock: Eu acho que seja um desejo secreto de todo escritor, ter seu livro transformado em filme. Eu não sou a exceção, seria incrível!
   
                                                    
Três Leitoras - O que podemos esperar dos novos projetos? Alguma previsão de novo lançamento?

I’m just finishing up The Duzy House of Mourning. A young couple on their way to the hospital to have their first baby is involved in a horrific accident that leaves the young man dead and his pregnant wife with a life-threatening  head injury. From the ashes of this tragedy, their baby girl is born. Fast-forward sixteen years when January Duzinski learns the details of that awful night and that her mother not only survived but has loved her from an agonizing distance. At its core, this is the story of a young woman's journey into the fascinating life of her terribly damaged mother. It's also an excavation of the love story that brought her amazing parents together in the first place. The backdrop is a mortuary--The Duzy House of Mourning--where January is being raised by her paternal grandparents.

Ka Hancock: Estou terminando um  projeto  que se chama “The Duzy House of Mourning”.
Um jovem casal está a caminho do hospital para dar a luz ao seu primeiro filho,e  acaba se envolvendo em um acidente de carro, onde resulta na morte de um  rapaz  e deixa a  sua esposa gestante com um ferimento na cabeça correndo risco de vida. Das cinzas dessa tragédia nasce sua filha. Dezesseis anos depois quando January Duzinski sabe sobre detalhes dessa terrível noite onde sua mãe não só sobreviveu, como também soube amá-la em sua dolorosa distância! Essa é a fascinante história de uma jovem moça na aventura de conhecer a cabeça de sua mãe prejudicada. E é também uma descoberta da história de amor de seus pais. O "cenário" é uma casa mortuária-The Duzy House of Mourning- onde January é criada por seus avós paternos.

  
Três Leitoras - Em sua FanPage do Facebook, li um comentário seu em uma foto enviada por uma fã brasileira, e nele você dizia que “I want to go to Brazil and hug this darling girl!” Será que os fãs podem esperar um visita ao nosso país? Seria uma honra poder conhecê-la pessoalmente! 


I would LOVE to come to Brazil! That’s on my bucket list for sure!  

Ka Hancock: Eu AMARIA ir ao Brasil, está em minha lista .
                                                                                           
Três Leitoras - Para finalizar, gostaríamos que deixasse uma mensagem aos admiradores e leitores das suas obras, principalmente aos brasileiros que assim como nós, amou desfrutar essa bela leitura!


Just thank you! I am very humbled and honored to have been asked to be part of this fabulous blog. It is extremely touching to imagine that I have so many lovely friends in Brazil. I will be telling my facebook peeps all about you!
 

Ka Hancock: Apenas obrigada! É muito gratificante, é uma honra poder ser convidada a fazer parte desse blog maravilhoso. É emocionante imaginar que eu tenho amigos amáveis/adoráveis no Brasil. Vou falar para todos do facebook tudo sobre vocês!            
















GOSTARAM? 
Gostaria muito de saber a sua opinião!
COMENTEM

Veja aqui a resenha do livro...




Posts relacionados

9 comentários

  1. Amei a oportunidade de conhecer Ka Hancock, de saber mais um pouco deste livro maravilhoso, o meu preferido, e saber que está vindo mais um livro que promete mexer com nossas emoções. Obrigada a Três Leitoras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alê eu que agradeço sua presença no Blog. Nossa quero demais que o Brasil publique tudo que ela escrever, até a lista de supermercado rs

      Excluir
  2. Esse livro é incrivel, arrebatador e emocionante. É impossivel nao levar pra vida o q vc aprende com Dançando sobre cacos de vidro. Tem livros q são inesqueciveis para cada leitor e esse é um desses pra mim. E amei a entrevista com a Ka Hancock . Ela é muito fofa e super educada. Valeu muito a pena ter investido todo esses quatro anos.
    Amei tbm o Blog. <3

    ResponderExcluir
  3. Se eu gostei? Bom, a única coisa que posso dizer é que : AMEI!
    Simplesmente fofa, carinhosa e já se tornou minha autora preferida. Espero que venha ao Brasil, pois sem dúvida estarei na fila com meu livro para ela autografar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mila, ficamos felizes por vc ter gostado. Um beijo!

      Excluir
  4. Amei, essa autora uma pessoa doce sensível envolvente, incrível, e amo esse livro, Vivemos em um mundo cercado por grades muros, sem muito sentimento onde cada um só olha para seu próprio umbigo, essa cidade é incrível tem pessoas maravilhosas e humanas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade... Mas acho que podemos tentar transformar tudo isso... A própria Ka nos deixou uma dica... ;)

      Excluir
  5. Entrevista simplesmente perfeita! Gostei mais ainda dela, super simpática e atenciosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Rhaiane, a Ka foi de uma simpatia e carinho enorme conosco....

      Excluir