Resenha: Doidas e Santas




Oi, Leitores!!!!!


O que será que temos para vocês hoje?


Martha Medeiros, poeta, cronista, romancista, conquistou o Brasil com seus textos, publicados em jornais de repercussão nacional, sites e livros que se transformaram em best-sellers.

Lido em: Fevereiro de 2015
Título: Doidas e Santas
Autora: Martha Medeiros
Editora: L&PM Editores 
Gênero: Crônicas 
Ano: 2008
Páginas: 231 

Sinopse: Doidas e Santas reúne cem crônicas que falam direto ao coração de suas leitoras e seus leitores. Nelas, Martha expõe os anseios de sua geração e de sua época, tornando-se uma das vozes mais importantes entre as recentemente surgidas no cenário nacional. As alegrias e as desilusões, os dramas e as delícias da vida adulta, as neuroses da vida urbana, o prazer que se esconde no dia-a-dia, o poder transformador do afeto, os mistérios da maternidade, enfim, o cotidiano de cada um de nós tornou-se o principal tema da autora. Como toda grande artista, ela consuma o sortilégio da literatura: traduzir e expressar o que vai na alma de sua enorme legião de admiradores.
Com uma maneira incrível e também incomum, a autora Martha Medeiros tem uma forma fantástica e um olhar clínico para tudo ao seu redor, uma reflexão e uma reação fresca, nova, de alguém que pela primeira vez se depara com o inesperado, seja o assunto o mais comum como Dia dos Namorados, a decisão de se começar a fumar.

Martha Medeiros conta sobre tudo isso e mais um pouco em seu livro Doidas e Santas. 

"Em tempos em que quase ninguém se olha nos olhos, em que a maioria das pessoas pouco se interessa pelo que não lhes diz respeito, só mesmo agradecendo àqueles que percebem nossas descrenças, indecisões, suspeitas, tudo que nos paralisa, e gastam um pouco da sua energia conosco, insistindo."

E quem disse que eu leio apenas romances e livros hots? Então está é a prova!

Estava no meu trabalho em um dia que tinha esquecido meu livro, eis que eu abro a gaveta da minha amiga Carla Jorge (ops - mexendo nas coisas dela) e vejo esse livro. Ahhhhh já que só tem tu, vai tu mesmo - pensei.

O livro reúne 100 crônicas independentes, como fatos do cotidiano que as vezes passam em branco por muitas pessoas, coisas simples, como filme, livros, momentos entre outros! O melhor é ler e se identificar com algumas leituras. As crônicas são do período entre 2005 a 2008.

Ao usar palavras do cotidiano de fácil entendimento, ela consegue falar diretamente com o leitor, de forma que parece que estamos numa conversa íntima pessoalmente, já pensou se fosse mesmo. Pensa eu e Martha Medeiros em um café conversando sobre a percepção que ela teve ao ver uma mulher no volante de um carro que parecia não estar bem (uma das crônicas). Era exatamente assim que eu me sentia ao ler o livro. É bem gostosa a leitura. Aquele livro ótimo pra deixar na mesa do trabalho, e quando tiver com os pensamentos cheios é o livro que pode limpar sua mente com duas páginas. Adorei!!!!!


"Eu também não gosto de roupa amarela. Quem abrir meu armário vai encontrar basicamente peças brancas, pretas, cinzas e em algumas tonalidades de verde. No entanto, hoje de manhã saí com um casaco amarelo canário! Tenho há mais de dez anos e quase nunca usei. Pois hoje saí com ele para dar uma volta e retornei para casa sendo a mesmíssima pessoa, apenas um pouco mais alegre por ter me sentido diferente de mim mesma, o que é vital uma vez ao dia."

Crônica Balançando estruturas - 01 de novembro de 2007

Então... Essa leitura faz parte do meu desafio de leitura.
28. Um livro com antônimos no título.
Doidas e santas - Ah, super antônimos, qual é a Santa doida, não é mesmo! rssss




Encontre-me

Posts relacionados

0 comentários