Resenha: Um Perfeito Cavalheiro - Bridgertons #3

Oi gente... 

Quero dizer que essa será a resenha mais melosa que irei fazer...
Eu simplesmente estou apaixonada pelo Benedict... quem não?
OMG... será que consigo terminar essa resenha demostrando o total amor que estou sentindo por Benedict. Vou me esforçar ao máximo. OK! Vamos lá!

Ele achava que já havia desejado mulheres antes. Mas aquilo... aquilo ia além de tudo. Era espiritual. Estava na sua alma. (pág. 208)

Sophie é uma bastarda. Filha de um nobre, fruto concebido de um relacionamento fora do casamento. Sophie foi deixada com seu pai ainda muito pequena. Apesar de ser a cara do pai, o mesmo nunca admitiu que Sophie  fosse sua filha, mas sempre deu de tudo a ela. Casa, comida, roupas e estudo. Mas nunca lhe dera o que ela mais queria: Amor. Quando tinha 10 anos, seu pai se casou novamente com um mulher que já tinha duas filhas. Sophie ficou radiante em saber que agora poderia ter mãe e irmãs, assim conquistaria o amor de seu pai.
Ledo engano. Seu pai veio a falecer pouco tempo. Um testamento foi deixado e nele Sophie era citada, mas a madrasta má nem em sonhos contou para a pobrezinha.
Anos passam e Sophie é a governanta, a passadeira, arrumadeira de quarto, empregada. Tudo junto e misturado. Coitada.

Seu único sonho: Ir a um evento da sociedade. Um baile, quem sabe.

Lady Violet Bridgerton está oferecendo um baile de máscaras. Com intuito de casar um dos filhos(as),claro! #Sempre.

Com ajuda dos criados, depois de engraxar os sapatos, arrumar os vestidos e cabelo de todas, Sophie é arrumada como uma linda dama em um vestido prateado. Assim na calada da noite, as escondidas, ela vai ao baile com que tanto sonhou.

Sophie está radiante. Mesmo sabendo que tem pouquíssimo tempo para ficar no baile, antes que sua madrasta retorne para a casa.

Felicidade define Sophie. Ela adentrou o salão da Casa Bridgerton, sua entrada é nada mais e nada menos linda, além de merecidamente excepcional.

E foi lá que Benedict Bridgerton a viu pela primeira vez e nunca mais a esqueceu. 

Foi lá que ele conheceu a única mulher que tocou sua alma... e seu coração.

Paixão a primeira vista. 


“Ela se sentia uma princesa – uma princesa audaciosa – e, assim que ele a convidara para dançar, ela pusera a mão na dele. E, embora soubesse que tudo aquilo era uma mentira, que era a filha bastarda de um nobre e a criada de uma condessa, que seu vestido era emprestado e os sapatos, praticamente roubados, nada parecera ter importância quando os dedos dele se entrelaçaram.”


Sophie não tinha muito tempo, a meia noite ela precisa deixar a festa e depois de um beijo inesquecível. Ela vai embora às pressas, deixando Benedict sozinho, desesperado e apaixonado por uma dama na qual ele nem havia visto o rosto, não sabia seu nome, muito menos onde morava, mas de algum modo ele sabia que ela seria para sempre, que ela era única.

“- Esta noite eu estou transformada – sussurrou ela. – Amanhã, eu desaparecerei.
Benedict a puxou para perto e deu um beijo breve e suave na sobrancelha dela.
– Então teremos que fazer uma vida inteira caber nesta noite.”


“– O que você está vendo? – indagou.
Sophie tropeçou, mas não tirou os olhos dos dele em nenhum momento.
– Minha alma. – sussurrou. – Estou vendo minha alma.”


Benedict dedicou-se por um bom tempo procurando a dama do vestido prateado, mas o que ele não sabia era que a megera havia descoberto a audácia de Sophie e ficou ainda mais indignada, pois o mais belo solteiro da temporada estava atrás dela e não de nenhuma de suas filhas.

A madrasta então poem Sophie no olho da rua.


DOIS ANOS DEPOIS... 
(OMG isso mesmo gente) 


... Benedict reencontra Sophie em uma situação nada favorável para ela. Estava prestes a ser estrupada pelo filho de seus atuais patrões, mas é salva a tempo por Ben (olha a intimidade) .

Infelizmente ele não a reconhece, mesmo que durante esses anos ele tenha procurado traços da mulher de prateado em todas as mulheres que ele conheceu. Isso nunca ocorreu, até por que ele lembra dela apenas mascarada, o que dificulta um pouco.

Daqui em diante, quero dizer a todos que estão lendo essa resenha, que uma reviravolta acontece.

Conversando com algumas amigas, uma delas até questionam muita coisa da atitude de Ben, mas eu já solicito encarecidamente que entendam a posição dele.

Sim, estou defendendo o lindo!

Qualquer semelhança com o conto de fadas da Cinderela, não é mera coincidência.



Sophie é uma personagem forte, que viveu praticamente sozinha. Sem mãe, sem pai, criada apenas com os criados da casa, e aquela megera não pode ser nem considerada em sua criação.

Por tanto é bastante compreensível as atitudes e escolhas da mesma. Nunca duvidem de seu caráter, e valores.

Julia Quinn é uma autora formidável! A cada novo livro, uma nova paixão.


Um perfeito Cavalheiro apresenta romance, drama, paixões, descobertas, amor verdadeiro e cenas engraçadas.


Delicie-se você também, mas não se apegue, o Ben é meu... todinho meu. rs

Lido em: Setembro de 2015 (em 7 horas)
Título: Um Perfeito Cavalheiro
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance de época
Ano: 2013 - 1º Edição
Páginas: 304



Gostaram dessa resenha? 


Espero que tenham gostado 
e convido a acompanhar os demais livros. 

* Livro 1 - O Duque e Eu (Daphne Bridgerton & Simon Basset)
        * Livro 2 - O Visconde Que Me Amava (Anthony Bridgerton & Kate)
        * Livro 3 - Um Perfeito Cavalheiro (Benedict Bridgerton )
        * Livro 4 - Os Segredos de Colin Bridgerton (Colin Bridgerton )
        * Livro 5 - Para Sir Phillip Com Amor (Eloise Bridgerton )
        * Livro 6 - O Conde Enfeitiçado (Francesca Bridgerton )
        * Livro 7 - Um Beijo Inesquecível (Hyacinth Bridgerton)
        * Livro 8 -  A Caminho do Altar (Gregory Bridgerton)


Não esqueçam de deixar um comentário.
Beijo e até breve!

Encontre-me

Posts relacionados

10 comentários