Resenha: Mar da Tranquilidade

Olá, Leitores!

Bom, vocês não fazem ideia de como está sendo difícil colocar em palavras o que senti ao ler este livro, pois as palavras me fogem ao tentar descrevê-lo, espero que possa transmitir um pouco dessa leitura fácil, singela, comovente, real e fascinante...

A capa é perfeita, o pote de sorvete derretido e derramando e formando dois rostos, é muito significante, eu quando vi a capa fiquei me perguntando o porquê do sorvete e de quem seria aqueles rostos... não tinha como ser mais perfeita, pois a medida que a história flui, tudo faz sentido...


Acontecem coisas ruins quando passo muito tempo sem sorvete – diz ela, parecendo ligeiramente mais calma.

A narrativa é feita em primeira pessoa, em capítulos que se alternam entre os pontos de vista de Nastya Kashnikov e Josh Bennett, em um ritmo tranquilo, delicioso e incrivelmente gostoso. E essa forma incrível da autora escrever a história tem o poder de torná-la prazerosa e a cada capitulo é dado um indício do que aconteceu com Nastya, fazendo que o interesse só aumente...

Nastya Kashnikov é uma jovem que teve seus sonhos arrancados de forma brutal, perdendo assim sua identidade e sua voz, ela sofreu e isso é notável pela forma como tenta ser, querendo se afastar de todos, mas o que aconteceu é um grande mistério que se desenrola ao longo do livro e te deixa com aquela louca vontade de devorar as páginas para saber o que houve afinal...
Tentando manter essa nova maneira de ser Nastya muda de cidade, de colégio onde ninguém sabe da sua história, ela adota um novo visual nada convencional, atraindo julgamentos e uma péssima fama, porem ela não dá a mínima pra isso, a única coisa que deseja e ser deixada em paz e enterrar suas lembranças, mas seu plano vai por agua abaixo quando conhece um garoto tão “estranho” quanto ela, pois ninguém ousa se aproximar dele, diante disso os dois são atraídos um ao outro de forma intensa e irresistível, como se não fosse possível separá-los... 
As palavras eram o sacrifício que eu oferecia diariamente em troca de um sono sem sonhos. Elas nunca me deixaram na mão.
Josh Bennett também sofreu danos, ele se sente despedaçado, pois todas as pessoas que ele amou foram tiradas da sua vida muito cedo, ele se isolou do mundo, querendo apenas ficar em paz e com a carpintaria, legado que foi deixado pelo seu Pai e isso é uma forma de se manter sua consciência sã...
Neste meio tempo Drew Leighton, o belo conquistador do colégio parece não perceber o quanto ela quer se manter afastada, e ignora todos os sinais que ela dá de que não está caindo nos doces encantos dele... me encantei pela forma como o Drew se dispõe a ser amigo da Nastya, ele é divertido e suave, assim como Clay que na metade da história se mostra um ótimo amigo, observador e discreto...

Nastya Kashnikov e Josh Bennett são complexos, intensos, machucados e não querem contato, nem a piedade de ninguém, por isso acredito que a atração se deu por eles serem tão parecidos, e conseguirem dar aquilo que o outro precisa sem medos, de cara limpa, sem melindres ou fingimentos, eles se tornam o lar, a paz de cada um, porem o passado não pode ser apagado, e existem questões a serem resolvidas e para que exista um recomeço para os dois é necessário que tenham que enfrentar o que foi deixado pra trás...
Às vezes é mais fácil fingir que não há nada de errado do que encarar o fato de que está tudo errado, mas não podemos fazer nada.


Amei cada palavra deste livro, ele é capaz de te arrancar sorrisos suaves e em outros momentos apertarem seu coração... Me encantei por cada gesto apaixonante do Josh, cada desenho do Clay, cada confusão de Drew, fora os outros personagens secundários como a família Leighton, super acolhedora, Tia Margot simples, discreta e divertida, a família de Nastya que nunca desistiu de resgatá-la, tudo amarrado tornando a história inesquecível para mim...


Enfim, já li muito nessa vida, mas nunca um livro me pegou assim, senti amor desde as primeiras páginas e terminei a leitura com um sorriso bobo e leve nos lábios e lágrimas nos olhos, o final é simplesmente perfeito... não quero crias expectativas pois, sei que cada pessoa que lê sente de alguma forma, por causa da bagagem que carrega, da próprias histórias pessoais e gostos, mas recomendo de olhos fechados e não descobri uma palavra no dicionário que possa defini-lo, mas essa frase se encaixa perfeitamente para este livro: “Livros como esse, são a razão pela qual existem pessoas apaixonadas por livros..”




Lido em: Novembro de 2015
Título: Mar da Tranquilidade 
Autora: Katja Millay
Editora: Arqueiro
Gênero: Drama / Romance 
Ano: 2014 
Páginas: 368











3 comentários :

  1. Angélica....
    Fiquei bastante interessada no livro. Parabéns pela belíssima resenha, a história me pareceu muito interessante, envolvente e cativante, rica em informações que nos levam a querer saber mais sobre o livro, foi muito bem escrita. As fotos ficaram lindas! Parabéns pela belíssima resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigada pela sua visita e por palavras tão positivas!!!

      Excluir
    2. Olá, Obrigada!!! Suas palavras são um incentivo pra mim!!! ;-)

      Excluir