Resenha: O Safado do 105



“Liberdade é pouco. O que desejo ainda não tem nome.”



Olá, leitores!!!

Desde a invenção da imprensa e a alfabetização das mulheres nos séculos 18 e 19, principalmente depois do Romantismo literário, boas histórias, histórias bem contadas e com casais que deleitam os sonhos femininos mais utópicos, os romances recheiam e preenchem corações, estantes e anseios.

Agora, após tantas rodas de conversa sobre o feminismo e as adaptações de 50 Tons de cinza (amo Grey!!!!) o que você pode me dizer sobre o imaginário feminino? O que nós mulheres desejamos e buscamos? O amor é algo possível, mesmo? E se há tanta discussão sobre os direitos femininos, desde quando os romances ficaram de lado?

Sinceramente? Bons romances nunca saíram de moda. E quando digo bons romances, estou incluindo TODOS os romances. Sejam eles os das páginas dos livros, os da tela do cinema, os imaginários e idealizados, os reais e tangíveis, e aqueles que de tão fantásticos parecem intangíveis.

Com isso, também incluo as formas mais legítimas de amor: o amor próprio (por que sem ele não dá para amar nada nem ninguém), o amor ao próximo, seja ele quem ou o que for.



Mas o que tudo isso tem a ver com o título da resenha?

Bem, parem tudo então e “senta que lá vem a história...”
Raissa é uma jovem de 28 anos que após várias discussões consigo mesma e sua família barulhenta, resolve dar a cara para bater. Compra uma casa e vai morar sozinha.

Na verdade sozinha é bondade minha. Raissa, dona da casa 104, divide a parede do seu quarto com o vizinho safado do 105. O primeiro contato deles se dá numa noite fantástica de sexo, gemidos e uma noite no tapete da sala. Sim, é isso mesmo que você está imaginando. Raissa é testemunha auditiva das noites agitadas do seu vizinho.



Um safado lindo que logo logo ganha nome de cueca, por que parece ter um gosto peculiar de cultivar flores pela manhã e usar uma peça tentadora de cueca Calvin Klein.

Entre trepadas espetaculares, flores, churrascos de domingo, “peguetes” variadas e claro a tentadora parede da Tia Clarice (sim, o cara além de tudo lê Clarice Lispector – “morrida” com isso) Calvin e Raissa viveram uma história daquelas que gostaríamos de vivido apenas um terço.

Conhecer o amor e vive-lo em tempos diferentes é um desafio para todo e qualquer ser humano. Porém, se isso vem embalado de um corpo sarado, coração sensível, mente inteligente, mãos que sabem cozinhar e gostos peculiares e surpreendentes, fica muito difícil resistir.

Afinal: “É quase impossível evitar excesso de amor que o bobo provoca. É que só o bobo é capaz de excesso de amor. E só o amor faz o bobo.”


Lido em: Dezembro de 2015
Título: O Safado do 105
Autora: Mila Wander
Editora: Essência
Gênero: Romance/Erótico
Ano: 2015
Páginas: 510


#DesafioLiterário2015 Categoria: Um livro com um número no título


0 comentários :

Postar um comentário