Resenha: Muito veneno e um pouco de lirismo





Oi, Leitores!!!

Ano passado conheci o Leandro Andreo e seu livro de poesia Ivvi. Agora ele lançou um novo livro e eu não resisti, é claro.

Lido em: Janeiro de 2016
Título: Muito veneno e um pouco de lirismo
Autora: Leandro Andreo
Editora: Kazuá
Gênero: Poemas/Poesia
Ano: 2015
Páginas: 102

Com uma poesia castamente lírica e pavimentando uma forma conscientemente elaborada – tendo como matriz a tradição poética e retórica, contudo, não limitando seu notório impulso criativo e definitivamente se distanciando da mácula estética do anacronismo, Leandro Andreo articula a poíesis desta obra intitulada MUITO VENENO, POUCO LIRISMO – se posicionando opostamente aos modismos estilísticos contemporâneos, o poeta emancipa esta obra reflexivamente lírica, majoritariamente direcionada numa labuta rítmica por entre a temática do amor, porem um amor que não é ingênuo, transitando pelos saberes secularizados dos clássicos, no apreender e dispor sensivelmente musical dos sintagmas, sem comprometer seu discurso que se desdobra por vezes pela lente crítica da arte contemporânea, ressonante certamente como a conjugada extensão reflexiva do diâmetro contemplativo presenciado no público que a materializa, se firmando definitivamente na oposição dos modismos poéticos.

Devido a sua inquietação sobre a redução de leitores de poesia e também com a forma como a poesia é feita hoje, que Leandro Andreo decidiu escrever seu mais novo livro. Um livro de desabafo, com muito veneno em suas poesias, mas também com o lirismo que vimos em Ivvi.

Acredito que o poeta conseguiu alcançar o objetivo desejado com o seu desabafo, me vi refletindo sobre o assunto... O mais bacana é que apesar de pequenos desabafos são poemas leves, de fácil compreensão, mas de muita reflexão.



É moderna a poesia que, sem forma,
Com versos dissonantes se conforma
E resulta emaranhado indigesto?
Com as rimas que eu uso, interpoladas,
A métrica das frases respeitada
E em forma de Soneto, eu protesto!


Mas não só o tema poesia é abordado, ele nos traz o papel de outros artistas para a nossa vida e que por muitas vezes não damos o seu valor merecido. Cruzamos com tantos artistas no nosso dia a dia e independente da "recompensa" recebida, eles entendem perfeitamente o papel ao qual se propõe, que é o de propagar a arte por cada canto que passar.



Maquiagem caprichada
E com roupa de palhaço,
Sua face esbranquiçada
Cobre o medo do fracasso.
Ele sonhava que o circo
Era o lugar verdadeiro,
Mas fez do mundo um abrigo
E da rua, picadeiro.

Eu sou amante de poesias e não deixo de concordar com o autor quando ele afirma que a Poesia Moderna fez com que a poesia perdesse muito da sua beleza, profundidade e objetivo... Admiro o jogo de rimas perfeito que o Leandro produz, como ele consegue ser simples e profundo em seus textos.

Muito veneno e um pouco de lirismo é um livro não apenas para os amantes de poesia, mas para qualquer leitor apaixonado, que valoriza cada letra escrita pelo poeta.


A cada poema lido, ficava mais emocionada... E de mim, este livro tirou suspiros, risos e algumas lágrimas.

3/25


Encontre-me

Posts relacionados

0 comentários