Resenha: O Garoto que tinha Asas



Oi, Leitores!!!

Eu começo essa resenha sem palavras? Mas como pode, eu preciso escrever... O que preciso primeiro mesmo é dar uma abraço na Raiza Varella e dizer a ela o quanto ela me emocionou com esse livro, com a forma como ela conduziu a história, como os sentimentos que ela despertou em mim me deixaram sem ar... PQP (desculpa o palavrão....), será que terei ressaca literária????

Lido em: Fevereiro de 2016
Título: O Garoto que tinha Asas - Trilogia Encantados #2
Autor: Raiza Varella
Gênero: Literatura Nacional/Chick-lit/Romance
Ano: 2016
Páginas: 408
Publicado pela Amazon

Ela precisava de alguém que a protegesse e ele de alguém que o ensinasse a amar.

O livro conta a história de Augusto, um homem mulherengo que tem como regra número 01 nunca se apaixonar, aliás ele não é capaz de amar ninguém além da sua família... Um médico cardiologista que não acredita nos sentimentos do coração... Além de não amar, ele não se imagina amando e cuidando do filho de outra pessoa... Resumindo, é um babaca!!

Essa é uma história sobre medo, sofrimento e certo babaca que teve que engolir todos os seus preconceitos por um sentimento tão bonito e tão desconhecido para ele, é uma história sobre amor.
O livro é dividido em partes e cada uma delas conta como o Augusto conheceu a garota sem nome e como ela mudou a sua vida. Os capítulos são narrados alternadamente por Augusto e a garota sem nome e em alguns momentos outros integrantes da história também os ajudam a nos contar como tudo aconteceu...

Ele estava em um dia normal, voltando para casa após um congresso e uma foda, sim, nosso mulherengo não perde tempo. Mas, ele nunca imaginou que a sua volta para casa, mudaria o rumo da sua vida...

Augusto presencia uma perseguição... Mas antes disso, ele a vê, uma garota de cabelos negros que olhou em seus olhos e conseguiu desarmá-lo. Tudo acontece tão rápido, em menos de um minuto surge um carro, a garota resolve fugir e começa a ser perseguida, e ele sem saber porque, começa a seguir os dois carros e o que ele menos imaginava acontece, o perseguidor causa um acidente e foge, largando o carro daquela linda menina destroçado.
Eu presenciei o mal pela segunda vez na minha vida.

Augusto não pensa duas vezes e corre para prestar socorro... No momento do desespero, a garota lhe faz um pedido e mesmo sem saber do que se trata, ele promete atendê-la e faz uma promessa que mudará a sua vida.

No banco de trás, garoto com asas. Minha vida está no banco de trás, esconda-o.

Ele descobre que trata-se de um garotinho e o leva para sua casa, não avisa a polícia que a criança estava no carro (sim, ele comete um crime por uma pessoa que nunca viu na vida) e além disso faz de um tudo (na verdade, faz alguém fazer) para levar a garota para o hospital que ele trabalha... Ele passa dias pedindo para que ela se salve e ele possa se livrar logo deste problema... O garoto não conversa com ninguém e isso não ajuda em nada na convivência deles... Augusto está mais do que perdido... Até que ela começa a se recuperar e um dia acorda... E pede para falar "com o garoto que tinha asas".

Ele tinha asas grandes o suficientes para me esconderem, para salvarem a minha vida e isso bastou para que eu ao menos conseguisse respirar novamente.

Inexplicavelmente, Augusto leva a garota para a sua casa, até que ela se recupere por completo... E a partir daqui, tudo que ninguém esperava que Augusto fizesse, é o que ele faz... O Monstro está mudando???

A única conclusão que eu tirava disso é que estava fodido, e que ia me foder muito mais se fizesse o que estava pensando em fazer: tentar protege-los.

Não importa se ela é uma garota sem nome, ou que se chame "Anna" e tenha uma bagagem de vida muitooooo pesada... Não importa se ele é um ogro, uma Fera, um Monstro, um cara que se acha capaz de amar apenas a sua família... Não importa as regras que eles estabeleceram para que vivessem ou sobrevivessem.... Nada disso importa... Afinal, quando o amor bate na nossa porta, mesmo que a gente queira, não tem mais como voltar atrás...

Eu engatei na leitura e não conseguia parar, qualquer intervalo que encontrava estava lendo... No horário do almoço, no ônibus, antes da aula da faculdade... Afinal, essa história consegue trazer diversos sentimentos... Ao mesmo tempo que você fica tensa, você está rindo... Daqui a pouco você está com raiva, mas aí amolece o coração... Ai seus olhos enchem de lágrimas e você suspira... Aí você quer bater no Augusto e logo depois lhe dar um abraço... É uma mistura de sentimentos louca, mas de uma coisa você não tem dúvida... Existe muito amor, união, confiança, amizade e companheirismo entre eles...

A coisa é tão louca que antes da página 100, eu já estava emocionada e com os olhos cheios de lágrimas... E me perguntando, que porcaria de cisco é esse que caiu no meu olho e não sai mais????

É delicioso rever o Ian, a Babi, a Malibu, o Bê, o Mala, Dona Eva... Leio esse livro e me imagino sendo da família, opinando, implicando e rindo muito com eles... 

Quem me acompanha aqui no blog sabe o quanto eu amo estórias que mostram a evolução e crescimento dos personagens... Me identifico, me emociono e sempre reflito sobre... Essa estória não só me emocionou, como me fez pensar na minha própria vida, em perceber que quando menos esperamos as coisas acontecem e a única coisa que tenho certeza é a de que o amor é capaz de tudo!!

Desde o momento que ele apareceu correndo no meio da fumaça com asas cor de bronze saindo de suas costas eu soube: soube que ele era o homem que iria me salvar.


Um livro que com certeza irá entrar para os meus preferidos de 2016... Agora é aguardar ansiosamente o livro do Mala, ops, Gustavo... "O garoto que eu abandonei"!

7/25

2 comentários :