Resenha Dupla: Juntando os Pedaços



Olá, leitores... É esse tipo de livro que eu amo, gente! 




Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca… mas não consegue juntar todas as peças do quebra-cabeça para gravar na memória. Então ele usa marcas identificadoras, como o cabelo, a cor da pele, o jeito de andar e de se vestir, para tentar distinguir seus amigos e familiares. Mas ninguém sabe disso — até o dia em que ele encontra a Libby. Libby é nova na escola. Ela passou os últimos anos em casa, juntando os pedaços do seu coração depois da morte de sua mãe. A garota finalmente se sente pronta para voltar à vida normal, mas logo nos primeiros dias de aula é alvo de uma brincadeira cruel por causa de seu peso e vai parar na diretoria. Junto com Jack. Aos poucos essa dupla improvável se aproxima e, juntos, eles aprendem a enxergar um ao outro como ninguém antes tinha feito. Estamos fazendo isso. Isso está acontecendo. Nós nos encontramos e mudamos o mundo. O dele e o meu. Sabe de uma coisa? Ver você encarando o mundo de novo é mais difícil do que eu esperava.
A gente não pode lutar as batalhas das outras pessoas, por mais que dê vontade.



POR LUANA COSTA 


Libby e Jack, dois adolescentes (maravilhosos) que desde que se conhecem como gente, sofrem do mal do século: Bullying. Apenas por serem "diferentes".

Libby sofreu demais depois da morte de sua mãe. Passou a ser conhecida como a Adolescente Mais Gorda dos Estados Unidos, e chegou a um ponto que precisou ser tirada de cada por um guindaste... UAU.

Jack, quando era pequeno acreditava que poderia voar e por causa de um acidente, mas precisamente uma quada ficou com prosopagnosia – uma doença que faz com que reconhecer o rosto das pessoas se torne impossível. - ps: Nunca tinha ouvido falar sobre essa doença, e ao ler o livro descobri que pessoas que jamais imaginaria, tem essa doença. (Vale a pena pesquisar sobre)

Por um determinado motivo, Jack e Libby ficam juntos em detenção e uma amizade começa a surgir. 💗

Libby por mais que não seja a mesma pessoa enorme que era há alguns anos, ainda não se sente completamente confiante, pois ainda sofre com o excesso de peso, mas já está acostumada com todo o bullying, pois desde criança sofre com isso.

Resultado de imagem para prosopagnosia
Jack é moleque, mas Libby desperta outro lado nele e ele vê que não precisa fingir que não tem uma doença, ela o torna confiante para assumir o problema que tem.
Para escrever as partes da doença, Jennifer contou com a ajuda de duas pessoas que a possuem, salve engano uma delas é seu primo. Juntando os pedaços é livro de autoaceitação no meio de vários problemas onde parece que amar e aceitar você mesmo é um crime.



"E, ainda que um coração partido doa muito, é melhor do que não sentir nada." (pg. 379.)




POR ANGELICA OLIVEIRA

Este é o meu segundo contato com a autora Jennifer Niven, no começo da leitura demorei um pouco para me conectar com a história porque ao contrário de “ Por Lugares Incríveis”, onde Violet e Finny tem uma conexão imediata, aqui em “Juntado os Pedaços”, Jack e Libby são apresentados separadamente e com conflitos que aparentemente não se conectam, mas a medida que vamos devorando os capítulos vemos que a história dos dois se completa de uma forma natural, verdadeira e linda!!!

A sensibilidade, cuidado e a leveza de como a autora lidou com a prosopagnosia, obesidade e o luto me tornou ainda mais fã do seu trabalho!!! 💓

Juntando os Pedaços foi um dos melhores livros que li em 2016! 




Título: Juntando os Pedaços
Autora: Jennifer Niven
Editora: Seguinte
Gênero: Jovem Adulto 
Ano: 2016
Páginas: 392



0 comentários :

Postar um comentário