Resenha: As Cores do Amor



"No caminho até a fazenda, fiquei imaginando: como pode em um país como o Brasil, que não tem uma raça predominante, onde a mistura torna o brasileiro tão único, uma pessoa ser tão desprezível e me julgar pela minha cor? Eu tentara entender muitas vezes, mas ainda não conseguia."


As Cores do Amor é um spin off do livro 8 Segundos.

Durante a leitura relembraremos muito da história, pois a mesma se passa no mesmo ambiente.

Nesse livro vamos conhecer mais a fundo os queridos personagens: Henrique e Sílvia, que se conheceram durante o casamento de Pietra e Lucas.

Sílvia é uma afrodescendente de origem bem humilde, está terminando sua faculdade e dando um duro danado para manter as contas em dia. A realidade de muita gente, não é mesmo?

Henrique é o filho playboy de um dos maiores fazendeiros da redondeza (Seguraaaaaaaa Pião), tem um pai super racista (Afff) que não vai aceitar de jeito nenhum uma negra como namorada do seu filho. (Cúmulo do ridículo).

Por conta da ambição do pai, Henrique cresce como uma pessoa que não se sente amada e que não sente que a fazenda é um bom ambiente familiar (pelo menos ele tem essa consciência). A sua mãe perdeu completamente o sentido e a razão para ser feliz. Ninguém mais a via como a antiga mulher amorosa e brincalhona que era . Apenas existindo e não vivendo verdadeiramente.

Aprendi as duras penas que a realidade tem que ser vivida e não sonhada. E eu não tinha tempo para sonhar.



No passado, Silvia sofreu muito por conta de um relacionamento que não deu certo, e quem é que nunca ficou assim, mas sua dor foi enorme, e por conta desse sofrimento acabou se fechando e não desejando amar outra vez. (Ta aí um erro que eu acho muito grave).

Ver a Silvia sofrer na história só me deixou mais triste ainda, por saber que isso realmente acontece.

O tema racismo deste livro foi bem sucinto, não há nenhuma apelação, podendo dizer que ficou em segundo plano. Eu juro que esperei mais um tiquinho de treta pesada, mas não quebrou o brilho do romance.

Todo narrado em primeira pessoa, e cada capítulo é feito no ponto de vista dos protagonistas.

É um livro picante, mas como sempre podemos esperar nas histórias da Camila, não se resume apenas a cenas de sexo.

Sobre a edição: a capa achei tão delicada e romântica, combinando perfeitamente com história. Não achei erros que atrapalhassem a leitura e a diagramação está ótima. As folhas amareladas (amoooo!!!) estão presentes e a fonte tem um tamanho confortável para leitura.




Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar. - Nelson Mandela













Que livro fofinho gente! 
Que história envolvente, que nos faz refletir sobre amor, preconceito e desrespeito.
O que define uma pessoa, heim?
A classe social?
Valor da sua conta bancária?
Seu caráter?
A aparência? 
O sobrenome? 
A cor da pele? Não, o que define uma pessoa é o que ela traz e transmite, tudo aquilo que vem de bom de seu coração!
Você não vai se arrepender.

Lido em: Outubro de 2017
Título: As Cores do Amor
Autora: Camila Moreira
Editora: Paralela
Gênero: Romance/Nacional
Ano: 2017
Páginas: 320

Encontre-me

Posts relacionados

4 comentários

  1. Ainda não li nada da Camila, mas todos dizem ser ótima autora. Apesar de já conhecer 8 Segundos eu não sabia que tinha um spin off, ainda mais falando de racismo.. Gosto de quando o livro é picante sem deixar de perder a essência. Dica anotada, quero urgentemente ler alguma coisa dela.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii, espero que você consiga logo ler algo da Camila! Você vai gostar!

      Excluir
  2. Obrigada pela resenha, Lu. Fico muito feliz que tenha gostado. ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mila!!! Ficamos muitoooo felizes por vc ter curtido a resenha!! Parabéns pelo seu trabalho!

      Excluir