Resenha: Como parar o tempo


Oi, Leitores!!!

Quando li a sinopse desse livro fiquei extremamente intrigada e foi impossível não querer realizar a leitura dele.

Nele vamos conhecer Tom Hazard, um homem que pode parecer um quarentão super comum, mas nada é o que parece, por uma razão desconhecido ele está vivendo há séculos, passando por diversos países durante todo esse tempo, assumindo diversas identidades. Para não levantar suspeitas, ele tem um tempo máximo para ficar em cada cidade, afinal seu envelhecimento acontece de forma diferente e isso sempre chama a atenção das pessoas.

Por algum tempo, ele mesmo acreditava que era o único que vivia assim, mas em dado momento descobre que não. E é assim que ele conhecerá uma Sociedade que ajuda as pessoas como ele a se manterem bem e seguras. Todos nessa sociedade são instruídos com algumas e a principal delas é que em hipótese alguma ele pode se apaixonar.


Mas será que vivendo há tanto tempo, ele realmente nunca se apaixonou? Claro que o amor apareceu em sua vida, Tom viveu um amor intenso e puro, mas não ficou por muito tempo com a sua amada, mas nunca a esqueceu. Deste amor nasceu Marion, que herdou a condição de Tom. Ela está desaparecida há muito tempo e ele nunca desistiu de encontrá-la.

Mas Tom está cansado de tudo que já viu e viveu, ele só quer ter uma vida normal. Além disto, ele continua a procura da sua filha e por isso decide retornar a Londres com a esperança de encontra-la. Assumirá o papel de um comum Professor de História, quem melhor do que ele para falar do passado? Tom irá não só ensinar a história, mas trazer as suas experiências (lógico, sem dizer que viveu naquele período). E assim ele vai tentando levar uma vida normal, mas nem tudo sairá como planejado. Entre suas aulas, lembranças e buscas, Tom irá encontrar o que não deveria, um novo amor.

E é nesse contexto que o autor desenvolverá a história, intercalando os capítulos entre os dias atuais e o passado mais longínquo de Tom. Saberemos como ele percebeu a sua condição diferenciada, sua primeira fuga e todas as experiências vividas até ali.

Enquanto realizava a leitura, confesso a vocês que por muitas vezes tive dúvidas sobre estar gostando ou não do livro, esperava um pouco mais de ação, mas quando percebi que não era este o caminho que ele seguiria, comecei a me ver totalmente dividida entre terminar logo a história ou realizar uma leitura lenta me aprofundando nas vivências de Tom. Optei pela segunda opção.

Me vi completamente surpreendida no decorrer da leitura, principalmente nos capítulos finais... Mesmo vivendo por tantas anos, Tom não deixou de se conhecer e compreender o resultado das suas escolhas. E isso acabou fazendo com que me conectasse a ele, mesmo ele não sendo o mais apaixonantes dos personagens.

Uma das leituras mais diferentes que realizei este ano e que eu super indico, precisamos sempre nos desafiar a realizar leituras fora do nosso habitar natural, permitindo que novos autores e gêneros nos envolva. Além disso, a história me fez refletir sobre escolhas e consequências da vida, intensidade das vivências e o velho "aproveitar o momento".


Um passarinho verde me contou que o livro será adaptado para o cinema e Tom será interpretado pelo maravilhoso Benedict Cumberbatch. Será que temos mais uma boa razão para realizar a leitura do livro e assistir ao filme???


Lido em: Dezembro de 2017
Título: Como parar o tempo
Autora: Matt Haig
Editora: HarperCollins Brasil
Gênero: Romance/Fantasia/Ficção Científica
Ano: 2017
Páginas: 320






Encontre-me

Posts relacionados

2 comentários

  1. Oi, Mara.
    Eu vi uma resenha bem legal sobre o livro mas não tive muita vontade de ler, isso porque eu não curto muitas histórias paradonas, e sou mais voltada para o romance, coisa que tem no livro mas não tanto. Porém eu amei a capa, gostaria de ter na minha estante.
    Beijos
    https://suddenlythings.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miriã, a história desse livro não é paradona e acredite tem romance sim!! Beijão!

      Excluir