Hora do leitor: Quando meu peixinho virou marcador!



Olá, pessoas!

Hoje trago uma história um tanto trágica, podemos assim dizer. Um belo dia estava a procura de histórias engraçadas que envolvessem livros para contar a vocês, porém me deparei com a história da Elaine, e não resisti, a convidei para contar ela para vocês.

Vamos lá?

Olá, me chamo Elaine Vaz tenho 37 anos e moro na cidade de Curitiba-PR.

Mudança não é algo tão divertido assim, principalmente a parte de embalar e encaixotar tudo. Quando se trata de nossos pertences nós temos todo cuidado e carinho. Eu e minha família ficamos o dia inteiro nesse processo da mudança para a casa nova. Os meus queridos e amados livros, eu coloquei todos no porta malas do carro, porque não confiei deixá-los seguir viagem com o caminhão.

Depois de tudo encaminhado, pegamos nossos bichinhos de estimação. Uma cachorrinha chamada Mel e o nosso peixinho Darvin.

Depois de um dia árduo de trabalho, estávamos mortos de fome. Então paramos no Subway, para comer uns sanduíches. Meu marido, minhas três filhas e eu. Quando estávamos pra sair, meu marido disse que seria melhor escolhermos rapidinho e levar para comer em casa, afinal deixarímos a Mel (a cachorra) no carro e colocamos o Darvin (o peixe) no porta malas, se não a Mel podia derrubá-lo. Coloquei o aquário sobre meus livros, pois levaria apenas 15 minutos (pensei).


O problema foi que voltamos para o carro com os sanduíches e pegamos a estrada. Chegamos em casa, talvez pelo tanto que estávamos cansados, esquecemos o peixe no porta malas. Quando estacionamos o carro na garagem e fui fechar o portão, olhei para o porta malas e lembrei do peixe, dei um grito, acordei as meninas que dormiam no carro, meu marido veio correndo, e eu apavorada tirando meus livros e procurando o Darvin, meu marido dizia:
"Não adianta amor, ele já ficou muito tempo fora da água."
E eu: "Me ajuda tirar os livros, vai que fez uma pocinha no fundo do step e ele está lá".
Tiramos todos os livros e nada, já estava escuro, na garagem ainda não tinha luz, tava difícil procurar só com a luz do celular, meu marido disse que procuraria no outro dia, eu disse que enterrasse ele antes de eu chegar do trabalho, porque eu não queria nem ver.

Acontece que ele não achou, mas não nos contou, eu me senti tão culpada que não quis nem saber mais.

Passado uns 10 dias mais o menos, estávamos assistindo na sala, uma das minhas filhas pegou um livro pra ler, estava ela lendo tranquilamente quando virou a página e deu um grito...

ADVINHA!!! 

Nosso peixinho azul tinha virado um marca páginas, estava lá "inteirinho" no meio de um livro.

A imagem pode conter: 5 pessoas, área interna
Elaine com sua família 


Enterramos ele com livro e tudo.
Foi muito triste, em memória do Darvin concordamos não ter mais outro peixe e também de não comprar o mesmo livro, era um do diário otário (o título é muito longo...rs). Hoje em dia a gente lembra e acha graça.

Gostou da coluna e quer participar também? 
Envie um e-mail para
 tresleitoras@gmail.com
com o assunto "Hora do Leitor" e nos conte a sua história.

Uaaauuu... Que coisa, não!




Encontre-me

Posts relacionados

5 comentários

  1. Olá
    Nossa que triste para o peixinho, sempre que eu me mudo meus bichinhos acaba virando uma fonte de muita ansiedade para mim, afinal deve ser muito estressante para eles

    ResponderExcluir
  2. Oiee Luana ^^
    Tadinho do peixe, mas foi enterrado em meio à páginas de livros, então é alguma coisa, né? haha' Tentando fazer piada quando o que eu mais queria era chorar pelo pobre peixe e pela família que o perdeu, mas tudo bem :/ Adorei a coluna!
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  3. Ai meu coração :( já tive alguns peixinhos é sempre fico mau quando eles morrem! Minha mãe já deixou alguns escapar na pia e já até matou filhos de outros na limpeza do aquário kkkkk o que não entendi foi como o Darvin foi parar dentro do livro, o aquário quebrou?

    Descanse em paz Darvin

    ResponderExcluir
  4. Coitado do peixinho \o/
    Mas essa história de mudança é um problema... Quando eu era pequena, nos mudamos para a nossa atual casa. Sempre tivemos muitos bichos de estimação. Eu acabei ficando doente nos primeiros dias na casa nova (era pedra no rim, mas a gente não sabia). Minha mãe ficou tão preocupada comigo que esqueceu de tratar o passarinho e o coitado morreu de fome :'(

    ResponderExcluir
  5. Oie!! Que dorzinha no coração! Mas quem tem bicho sabe o transtorno que é a situação de mudança com os filhotes, né?

    ResponderExcluir