Resenha: Mil Palavras

Oi, Leitores!!!

Eu já havia sido conquistada por Jennifer Brown desde que li Amor Amargo, a achei incrível em A Lista Negra, mas em Mil Palavras, a achei tão foda e mais uma vez afirmo: todos deveriam ler seus livros... E durante a resenha, você vai ver vários porquês de admirar tanto o seu trabalho.
Desta vez, vamos conhecer Ashleigh, uma garota que está no ensino médio, mas que anda em uma onda de insegurança grande, pois seu namorado Kaleb está prestes a ir para a faculdade e seu maior medo é que ele se esqueça dela.

Em uma festa, conversando com as suas amigas, ela fala do seu medo de ser esquecida e é aí que ela recebe a sugestão de enviar uma foto nua para ele, afinal algo assim faria com que ele a mantivesse em seus pensamentos. De início ela negou a possibilidade, mas depois se sentiu tentada e assim foi, ela tirou a foto, de corpo inteiro em frente a um espelho e enviou de cara para ele.

De início, ele achou o máximo e realmente ficou mais próximo dela, mas nem a foto foi capaz de evitar o inevitável e o namoro acaba. E a forma que eles terminam não é das melhores e Kaleb está com vontade de se vingar, e encontrou um forma, enviou a foto para os seus colegas de time de beisebol, muitos deles ainda estudam na mesma escola que Ash, e rapidamente essa foto viraliza e a vida de Ash vira um inferno, onde ela será julgada apenas pro aquela imagem, sendo xingada, expulsa do seu time de corrida e suspensa da escola.

Toda essa situação chamou a atenção do conselho da escola, da polícia e da mídia. Ash sofreu acusações e além das punições já recebidas, ela foi a julgamento e precisava cumprir horas de prestação de serviço comunitário e será neste lugar que vamos conhecer realmente a Ash.

O livro é narrado por ela e vamos ter capítulos alternados entre o que ela está vivendo hoje, após a viralização da foto, e as situações que ocorreram antes: o que a levou a tirar a foto, o que levou Kaleb a enviar para outras pessoas, a forma como os amigos reagiram a situação, como os pais dela receberam a notícia e como eles agiram diante a situação.

Acreditem, apesar de Ash ser a vítima e estar sofrendo e muito com isso, Jennifer com uma maestria nos mostra como os outros se sentiram sobre isso, mesmo o livro sendo narrado por ela, percebemos claramente como a vida de cada uma daquelas pessoas foi afetada. Nos trazendo uma carga de informações e sentimentos que me fizeram refletir e muito.

De início, achei que o serviço comunitário não fosse ser um lugar fundamental para a sua reconstrução, aliás para o seu reencontro consigo mesma. Lá ela irá conhecer Mack, eles vão construir uma amizade, que mesmo sem pretensão, fará a diferença neste processo que a Ash está vivendo.

Ao mesmo tempo que amei o Mack de paixão, até antes mesmo de saber mais sobre ele, odiei personagens que sempre estiveram na vida da Ash, mas não lhe apoiaram de forma alguma. O pai de Ash e a sua melhor amiga Vonnie não me convenceram, me decepcionei real com eles. Do Kaleb, nem gastarei as minhas digitações com ele, ele a traiu de uma das piores formas e absolutamente nada justifica a postura que ele teve.

Um livro que aborda um tema tão importante, já que os pedidos de nudes são tão corriqueiros e os envios dele também, afinal não foi um caso aqui e outro ali que já vimos sobre eles. Um história que envolve confiança, honestidade, amizade, redenção, autoconhecimento, traição e integridade. E que nos deixa uma lição tão valiosa para os dias atuais:

Uma imagem pode valer mil palavras… mas nem sempre conta a história inteira.
Lido em: Setembro de 2018
Título: Mil Palavras
Autora: Jennifer Brown
Editora: Gutenberg
Gênero: Romance/Jovem Adulto
Ano: 2018
Páginas: 208
Adicione no Skoob | Compre: Amazon
*Livro cedido pela Editora em parceria*

Encontre-me

Posts relacionados

7 comentários

  1. Oi, Mara. Eu li esse livro recentemente e também adorei a leitura. Não li A Lista Negra, mas conheci a escrita da autora através de Amor Amargo. A autora consegue nos envolver demais com a história. A Ash sofreu demais e infelizmente casos como o dela acontecem com muita frequência :(
    Amei a resenha!

    ResponderExcluir
  2. Olá! Sinto que já ouvi falar dessa autora, mas não tenho certeza. Dia desses estava conversando com algumas amigas justamente sobre esse envio desenfreado de nudes e as graves consequências que tem. Acho muito relevante um livro que trate disso, ainda mais um ya, pois muitas vezes não refletimos porque estamos apaixonados e somos jovens, mas é preciso. Confiar é um verbo precioso que não pode ter por objeto qualquer um

    ResponderExcluir
  3. Oi Mara.

    Adorei sua resenha, pois o livro mostrou que ele aborda um assunto muito importante e faz refletir especialmente para os jovens. Vou adicionar na minha lista de desejados, junto com os outros dois que você mencionou. Estou bem curiosa pela história.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Eu acho muito bacana a maneira como essa autora aborda temas tão necessários principalmente para o publico que lê suas obras, infelizmente a escrita dela não funciona comigo, acho maçante demais, mas fico feliz que tenha sido uma leitura tão agradável para você.

    ResponderExcluir
  5. Olá! Imagino como deve ser difícil para a protagonista ter que lidar com as consequências dessa atitude de enviar fotos para o até então ex. Acredito que é muito importante à discussão sobre esse tema, já que é praticamente impossível ter controle sobre as coisas quando elas vão parar na internet, por isso devemos pensar muito com quem compartilhamos nossas informações. Claro que a culpa nunca é da vítima, mas não dá pra confiar em ninguém hoje, infelizmente, como o cara provou. Gostei muito da resenha!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  6. Oi Mara,
    Fico contente que essa leitura tenha te agradado, mas tenho que confessar que eu detestei esse livro e forma nada humanizada como a Ash foi retratada. Foi legal a Jennifer ter mostrado um outro lado da história? Foi. Mas, ela poderia ter mostrado - frisado, reafirmado, desenhado, até - que a culpa NUNCA é da vítima e, infelizmente, nesse livro, ela fez completamente ao contrário. Ela mostrou que a Ash aceita sua parcela de culpa. A jovem não teve o apoio de NINGUÉM, só do Mack, um completo estranho, diga-se de passagem.
    Aceito suas impressões, mas estou longe de concordar com elas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Mara,
    A primeira resenha que vi desse livro não era tão positiva, mas a sua está bem bacana, fiquei curiosa e ao mesmo tempo intrigada, acho que preciso de mais uma para desempate ahahaha.

    Beijokas

    ResponderExcluir