Resenha: Mar da Tranquilidade

Oi, Leitores!!

Sabe quando você lê um livro, se apaixona, encanta, emociona e na hora de falar dele para alguém não sabe nem por onde começar? Pois bem, estou vivendo exatamente isso com Mar da Tranquilidade. Não sei por onde começar!!
Eu poderia chegar aqui e escrever milhares de coisas sobre a história de Nastya Kashnikov e Josh Bennett, como eles se conheceram e tudo o que aconteceu depois daqui.

Mas acredito que mais do que falar da história do livro, preciso falar a vocês de todas as emoções que senti durante a leitura.
Voltar ao mundo das palavras sempre foi um objetivo, mas às vezes me pergunto se um dia chegarei lá. 
O livro é narrado em 1ª pessoa e os capítulos são alternados entre nossos personagens. Dois adolescentes que já passaram por mais coisas do que deveriam e é extremamente doloroso conhecer pouco a pouco as suas histórias. As vivências deles me fizeram refletir e até mesmo me propor mudanças e transformações.

Durante a leitura, com todas as minhas reflexões, absorvi sensações e emoções que me foram despertadas e assim levei o tempo que precisei para concluir a leitura, mas isso não quer dizer que a leitura foi arrastada, mas sim muito bem aproveitada.
Eu vivo num mundo sem magia nem milagre. Um lugar onde não há clarividentes nem metamorfos, anjos ou garotos super-humanos para nos salvar. Um lugar onde as pessoas morrem e a música se desintegra e tudo é um saco. O peso da realidade nos meus ombros é tão grande que às vezes me pergunto como ainda consigo erguer os pés para caminhar.  
Mesmo com toda a carga emocional, a autora também consegue nos proporcionar cenas divertidas e cheias de humor. Para mim, isso demonstra claramente que tudo pode estar péssimo, mas que se ainda existe uma chama, mesmo que pequena, dentro de você, será capaz de sorrir.

Não me conectei aos personagens de cara, mas a curiosidade em conhecê-los me moveu a continuar a leitura e no primeiro tapa na cara que a história me deu, percebi que tudo era mais complexo do que eu imaginava e preparei meu coração para tudo que aconteceria.
Naquele momento, eu sei que o que ele me deu, e não é uma cadeira. É um convite, uma mensagem de boas vindas, a confirmação de que sou aceita aqui. Ele não me deu algo para me sentar. Ele me deu um lugar. 
Os personagens secundários são primordiais para o desenrolar dos fatos, eles se encaixam e nos mostram valores que devemos levar para a vida. Mostrando o quanto esses personagens são reais e que nós poderíamos ser qualquer um deles.

Poderia descrever esse livro com milhares de palavras, mas apenas uma me vem a cabeça: INTENSO.

Eu poderia dizer milhares de coisas sobre esse livro para te convencer a lê-lo, caso você ainda não o tenha lido, mas direi apenas uma: esse livro me transformou.   
- Se você deixasse, eu também faria perguntas. Faria mil perguntas, até você me contar tudo. Mas você não deixa.
Pessoas podem destruir o seu mundo, tirar a sua voz, mas você é capaz de encontrar em você e no mundo, motivos para recomeçar. Não é fácil, é doloroso, mas não é impossível!! E este livro, além de todas as lições, me ensinou isso também. Principalmente por ele não nos trazer um final lindo e perfeito, afinal a perfeição não existe, mas sempre podemos ser o melhor em meio ao caos.

Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar.
Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele.
A história de Josh não é segredo para ninguém. Todas as pessoas que ele amou foram arrancadas prematuramente de sua vida. Agora, aos 17 anos, não restou ninguém. Quando o seu nome é sinônimo de morte, é natural que todos o deixem em paz. Todos menos seu melhor amigo e Nastya, que aos poucos vai se introduzindo em todos os aspectos de sua vida.
À medida que a inegável atração entre os dois fica mais forte, Josh começa a questionar se algum dia descobrirá os segredos que Nastya esconde – ou se é isso mesmo que ele quer.
Eleito um dos melhores livros de 2013 pelo School Library Journal, Mar da Tranquilidade é uma história rica e intensa, construída de forma magistral. Seus personagens parecem saltar do papel e, assim como na vida, ninguém é o que aparenta à primeira vista. Um livro bonito e poético sobre companheirismo, amizade e o milagre das segundas chances.
Lido em: Setembro de 2019
Título: Mar da Tranquilidade
Autora: Katja Millay
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance
Ano: 2014
Páginas: 368
Adicione no Skoob | Compre: Amazon

Encontre-me

Posts relacionados

6 comentários

  1. Li esse livro assim que lançou e fiquei completamente apaixonada pela escrita e a forma como foi contado, me prendeu desde o começo!
    Fiquei bastante emocionada lendo o livro. Costumo dizer que livros vão de acordo com nosso momento atual, e por mais que não seja uma leitura de gênero que eu faça com tanta frequência, eu fiquei bem impressionada com o enredo!
    Amei demais!

    ResponderExcluir
  2. Olá, que resenha bacana, adorei sua dica e considerações sobre a leitura, pelo que vi a obra tem características bem marcantes e possui aprendizados intensos também, gostei muito da premissa e de saber mais a repeito, gosto muito do gênero e daria uma chance sem dúvida a leitura.

    ResponderExcluir
  3. Oi Mara.

    As vezes é difícil conectar com personagens adolescentes, pelo menos comigo, não é tão fácil. A história tem que ser bem interessante para ajudar e você deixou pontos bem positivos da história. Vou tentar dar uma chance para ela, acho que vou gostar muito. Obrigada pela dica.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi, amei conferir sua opinião sobre esse livro, eu comprei ele por ver que outros leitores também curtiram essa intensidade que ele tem, então estou bem animada para fazer a leitura.

    ResponderExcluir
  5. Oi Mara, tudo bem?
    Eu to de cara com esse livro, como ele é intenso e mais incrível a sua veemência em dizer que este livro te transformou. Pelo andar da carruagem, vi muito drama mas também vi muita superação, força de vontade, encontrar seu lugar no mundo. ótima premissa para um livro de acordo com os tempos de trevas que vivemos hoje.

    Bjokas ♥
    http://www.livreando.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Super legal ler sobre a sua conexão emocional com esse livro. Já vi ele por aí, mas nunca tinha parado para entender sobre o que era a história. Depois de ler sua opinião, fiquei curiosa.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir