Resenha: Proibido

Oi, Leitores!!!

Hoje é dia de resenha de livro do #DLBaianas! O tema de abril foi um livro encalhado na estante e Proibido é um livro que já tenho desde a época que foi lançado, mas ele foi tão comentado no mundo literário que não queria ser contaminada pelas opiniões, deixei o livro de lado e só hoje realizei a leitura.
Esse é o tipo de livro que mexeu com as minhas emoções, tabus, verdades... Ele me causou angústia, me fez julgar a cada página lida, me fez derramar lágrimas e me deixou arrasada com o seu final.

Toda a história se passa ao redor de uma família completamente desestruturada. O pai abandonou a família depois de se envolver com uma outra mulher, a mãe das crianças passou a viver uma vida de angústia, alcoolismo, raiva e um desejo de nunca ter parido nenhuma daquelas cinco crianças.

Quem trazia um pouco de normalidade, estrutura e amor para aquela família eram os dois filhos mais velhos, Lochan e Maya. Eles cuidavam dos irmãos mais novos em tudo e viviam extremamente sobrecarregados, pois além disso, cuidavam de si, focavam nos estudos e lutavam diariamente para terem dias melhores. Se aquelas crianças tem um pai e mãe, eles se chamam Lochan e Maya.

Lochan é um dos alunos mais inteligentes da escola, mas sofre de uma fobia social imensa, ele não tem amigos, não fala em público, foge de apresentações e qualquer outra coisa que se faça necessário ter relações interpessoais. Maya é uma menina cheia de vida, uma adolescente comum, que admira o irmão. Lochan confia demais em Maya, ela é a sua [unica amiga e a única pessoa que o conhece tão bem. É com ela que ele se sente seguro e tranquilo, é ela que o faz ter a certeza de que as coisas podem e vão melhorar.

As coisas se tornam difíceis, quando Lochan percebe que gosta de Maya muito mais como a sua irmã e começam a ficar mais difíceis quando ele se dá conta que seus sentimentos por ela são recíprocos, Maya se sente da mesma forma, ela nutre dos mesmos sentimentos por ele. E começam a desmoronar quando eles se beijam pela primeira vez.

Eles sabem que a sociedade nunca aceitaria a relação deles, que as punições são duras e pior ainda, a família deles será separada, eles não podem conviver sabendo que as crianças foram para o serviço social por culpa deles.
Como uma coisa tão errada, pode parecer tão certa?
A leitura deste livro é difícil antes mesmo de Lochan e Maya perceberem que o amor deles vai além de amor de irmãos. A forma como o pai abandona essas crianças, a forma como vivem, a forma como são tratados pela mãe, as questões psicológicas e emocionais de Lochan, a forma como Maya e ele assumem o comando desta família, mesmo sendo dois adolescentes de 18 e 16 anos. São tantas coisas que em determinado momento, achei que o amor deles era o menor dos problemas.

Uma leitura dolorosa que me causou angústia e tristeza, que me fez refletir sobre a vida de tantas crianças que sofrem por estarem em uma condição similar a desta família, que me fez refletir sobre minhas crenças, verdades e tabus. Uma história que me reforçou o quanto é importante preservamos e cuidarmos da nossa saúde mental, que me fez refletir sobre o amor e sobre o que somos capazes de fazer por aqueles que amamos.

Li todo o livro com o coração apertado, angustiada por não saber como tudo aquilo terminaria e desatei em lágrimas pelo final apresentado pela autora, primeiro pelo fato de que não tinha vislumbrado essa possibilidade de desenrolar dos fatos e segundo por ter sido um final que nenhuma pessoa merece ter, independente de quem ela é. Um misto de dor e amor. 

Um livro que nos faz questionar sobre certo e errado... Um livro que não é para todos, mas que com toda certeza transforma algo em todos que o leem.

Lido em: Abril de 2020
Título: Proibido
Autora: Tabitha Suzuma
Editora: Valentina
Gênero: Romance
Ano: 2014
Páginas: 304
Adicione no Skoob | Compre: Amazon 


Sinopse: Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis.Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes.
Eles são irmão e irmã.
Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.

Encontre-me

Posts relacionados

7 comentários

  1. Olá!
    Esse é um livro que trabalha bem a mente e as emoções do leitor. Li ele tem alguns anos já, mas ainda tenho todos os detalhes na cabeça! Amei demais esse livro. Gostaria de ler mais livros como esse.

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
  2. Já vi essa capa em alguns lugares e achei linda. Achei sim a história pesada, não sei se gostaria de ler e ficar me dando angústias, como professora convivo tanto com essas histórias... mas acho importante e necessário.

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Eu tenho muito receio de ler esse livro, pois é um tema bem... estranho, mas parece ser uma leitura bem bonita e emocionante. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Lembro que esse livro me é uma mistura bem agridoce, justamente por ele ser emocionante ao longo das páginas, e trazer um final devastador. Apesar de trazer um tabu como temática, ele tem suas grandes reflexões. Ótima resenha e que bom que se deu a oportunidade de ler mesmo depois do hype!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Mara.

    Eu já li tanto comentários sobre este livro e mostrando como a leitura é difícil que sempre fico adiando a leitura dele. Tenho o livro aqui em casa e tenho muita vontade de lê-lo. Não sei porque realmente fico adiando a leitura. Vou dar prioridade para ela em breve ainda mais depois de ler sua opinião.


    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Costumo e itr dramas porque sofro muito, sou das que embarcam nas histórias de cabeça. Mas confesso que a cada resenha que leio desse livro tenho mais vontade de ler, mas medo também. Mas enfim amei conferir suas impressões. Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Maraa!

    Ler esse livro é dão doloroso e desesperador! Suas palavras refletem exatamente o que senti quando li esse livro a alguns anos atrás! Sofri demais com toda a situação que eles são impostos, o final do livro me destruiu totalmente, assim, como você eu não tinha vislumbrado esse final para o livro e fique chocado, principalmente por perceber que esse era realmente o único final possível.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir